quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Equipe multidisciplinar ganha o Prêmio Inventor Petrobrás 2015

imagePersonagens da foto: Prof. André Laurindo Maitelli (camisa de listras) e Andrés Ortiz Salazar (de camisa liza).
Uma equipe de cinco pesquisadores, entre eles três da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), um ex-doutorando da instituição e mais dois engenheiros da Petrobras constam entre os ganhadores do Prêmio Inventor Petrobras 2015, por terem desenvolvido um sistema de comunicação de dados usando a rede elétrica, aplicado a  poços de petróleo.
André Laurindo Maitelli e Andrés Ortiz Salazar, ambos professores do Departamento de Engenharia de Computação e Automação do Centro de Tecnologia (DCA/CT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), juntamente com o Prof. Francisco Assis de Oliveira Fontes, do Departamento de Engenharia de Materiais (DEM), e mais Filipe de Oliveira Quintaes, atual professor do Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte (IFRN), doutorando do PPGCEP-UFRN à época, e os engenheiros da Petrobras, Antônio Pereira Júnior  e Elias Karbage levaram quatro anos para desenvolver essa inovação.

Do que se trata
Em nome da equipe, o Prof. Maitelli explica que “a invenção é fruto do projeto de um sistema de comunicação  de dados via rede elétrica para um motor de indução trifásico utilizado no  método de elevação artificial do tipo Bombeio Centrífugo Submerso (BCS),  composto por dois módulos: o módulo de subsuperfície – transmissor do  sinal – e o módulo de superfície – aquisição de sinal.
Entusiasmado com a recepção do invento pelo meio científico, Maitalli detalha: “O sistema será  responsável pela aquisição dos dados de pressão de entrada, temperatura do  motor, temperatura do fundo do poço, corrente de fuga, pressão de descarga,  sinais de vibração e sinal de contaminação do óleo isolante, com objetivo de  evitar a queima do motor de indução trifásico, utilizado nesse método de  elevação”.
Financiamento e retorno social
Subsidiada pela Petrobras, a pesquisa foi desenvolvida nos Laboratórios de Avaliação de Medição em  Petróleo (LAMP) e Automação em Petróleo (LAUT) do Departamento de Engenharia de Computação e Automação (DCA/CT) da UFRN. Enquanto atividade acadêmica, contou com a participação de alunos de graduação e pós-graduação, gerando uma tese de doutorado, uma dissertação de mestrado  e dois trabalhos de graduação, além de artigos divulgados em eventos  científicos e publicados.
Indagado sobre a relevância social, o Professor Maitalli foi taxativo: “Esse método BCS é utilizado para a produção de petróleo no mar, com  altas vazões e a parada de um poço desse tipo por sua queima é bastante
custosa. A invenção contribui para a diminuição desse tipo de parada de  produção”.
Caso interesse ao meio produtivo, o sistema contribuirá para uma maior eficiência na produção de petróleo, acreditam os criadores. O ideal, discorre um deles, “é que o invento seja transformado em produto comercial.  Porém, deve haver o interesse de uma empresa (que não a Petrobras) em  transformar o protótipo em produto. Já foram feitos esforços nesse sentido,  mas ainda sem sucesso”, explicam.
O Prêmio
Nos últimos três anos, essa é a 3ª patente formal depositada por essa equipe vencedora. Como resultado da parceria com a empresa petrolífera, o grupo também participou de outros três inventos depositados pela Petrobras, em 2009 e 2010.
Ao receber a notícia, a reitora Ângela Maria Paiva Cruz congratulou-se com a equipe, em nome da administração universitária: “Esse Prêmio é mais um reconhecimento da competência científica e tecnológica de cada um dos vencedores. Parabéns a todos e contem sempre com nosso apoio”.
Devido a restrições orçamentárias, a entrega da premiação – um reconhecimento à capacidade de invenção do grupo - dar-se-á por meio de certificado enviado pelo correio, e não em solenidade no Centro de  Pesquisas da Petrobras (CENPES), no Rio de Janeiro, conforme anos anteriores.
Entretanto, isso não tira o ânimo dos inventores. Independente do destino dessa inovação, eles estão trabalhando outras idéias, como o sistema de controle de velocidade de PIGs  (equipamentos para a inspeção de dutos) e o sistema para o levantamento do  perfil de temperatura em poços usando fibras óticas.
Para mais informações contatar o Professor André Laurindo Maitelli pelo endereço:
maitelli@dca.ufrn.br.

(Sirleide Pereira – Ascom-reitoria/UFRN) Fotos: Cícero de Oliveira

Receba as notícias do Blog por email

Seguidores