terça-feira, 15 de julho de 2014

Maquiador Amaro Bezerra expõe fotografias artísticas na Pinacoteca Potiguar

image Experiente maquiador de cinema, Amaro Bezerra busca o equilíbrio diante da sutileza dos detalhes e se lança como fotógrafo de arte. Público poderá conferir nesta quinta-feira, 17, sua exposição de fotografias “No Rastro das Águas”. 

Diante de uma fotografia, o maquiador potiguar Amaro Bezerra não procura o óbvio. É o detalhe que lhe interessa. É o close que o atrai. Das cores, Amaro quer o equilíbrio. Da natureza, extrai a matéria-prima. Há vários anos Amaro Bezerra pesquisa na natureza as cores para os trabalhos de maquiagem que desenvolve no cinema e em outras áreas.

Por sugestão de amigos, a experiência mais recente virou arte e se transforma agora na exposição ‘No Rastro das Águas’. O vernissage acontece dia 17 de julho, a partir das 19h, na Pinacoteca Potiguar (praça Sete de Setembro, Cidade Alta).

Através do olhar humano e fotográfico, registra flores, cascas de árvores e até pedras em close para capturar a essência do que vai usar em personagens na televisão, na moda e, especialmente, no cinema. Com curadoria do professor de arte e artista visual Vicente Vitoriano, o maquiador expõe 35 telas com imagens captadas nas praias de Pirambúzios, Pipa, Baía Formosa e Touros dos rastros deixados pela água do mar na areia. O cenário natural se mistura à sutileza da natureza. O trabalho conta ainda com a colaboração de Plínio Faro na edição das imagens e apresentação da poetisa Rizolete Fernandes.

O potiguar Amaro Bezerra é um dos principais nomes da maquiagem do cinema brasileiro. Sua formação técnica na área ocorreu no final dos anos 1970, durante a primeira temporada dele em Paris, na França. A partir dali se especializou na sétima arte. Em seu currículo, destacam-se filmes do cinema francês e nacional, como “Um trem para as estrelas” (1986) e “Dias melhores virão” (1988), ambos de Cacá Diegues, além de minisséries para televisão, como “O Pagador de Promessas” (1987), dirigido por Tizuka Yamasaki.

Sobre a pesquisa de cores para a maquiagem que ele mostra pela primeira vez ao público através da exposição “No Rastro das Águas”, Amaro se revela um rastreador. “Foi na natureza que vi mais ousadia na combinação e equilíbrio das cores. É muito exótico, tem muito equilíbrio. E no cinema eu busco esse equilíbrio. Eu trabalho em cima de uma paleta de cores e a natureza me dá isso. Maquiagem é observação”, concluiu.

Serviço:

Exposição “No Rastro das Águas” - Vernissage: 17 de julho, às 19h. Visitação: de terça a sexta, das 8h às 18h, e aos sábados, das 9h às 17h.  Local: Pinacoteca do Estado, praça Sete de Setembro, Cidade Alta

Entrada franca. Tel.: (84) 3211-7056.

Contatos para entrevistas: Amaro Bezerra – 9991.1497

Receba as notícias do Blog por email

Seguidores