quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Racionamento de energia elétrica poderá ser descartado até março

image Eduardo Braga fez o anúncio em reunião com a bancada do PMDB

As regiões Nordeste, Norte e Sul do Brasil não se submeterão a racionamento de energia elétrica. O governo federal deverá anunciar, até o final de março, que o Sudeste e o Centro-Oeste do país também suportarão o período de estiagem sem precisar enfrentar um controle mais rígido na utilização da energia. A garantia foi dada pelo ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, em reunião realizada na tarde desta terça-feira (10) com a bancada de senadores do PMDB.

Segundo o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), o ministro alertou os parlamentares sobre a existência de uma guerra de comunicação envolvendo o setor elétrico brasileiro. Eduardo Braga destacou que não são verdadeiras as declarações noticiadas pela imprensa sobre uma suposta falta de planejamento na infraestrutura elétrica do país. Técnicos do Ministério apresentaram aos parlamentares estudos sobre a expansão do sistema elétrico a longo e médio prazo e fizeram uma comparação do sistema existente em 2001 com o atual.

O ministro disse aos senadores que várias medidas foram tomadas para garantir a segurança energética do país. Com relação à prorrogação do horário de verão, Eduardo Braga declarou que o assunto ainda não está definido. “Ele confirmou que se reunirá com a presidenta Dilma Rousseff nesta quarta-feira (11) e, entre outros temas, a possibilidade da prorrogação do horário de verão será debatida”, afirmou o senador Garibaldi Alves.

Eduardo Braga também antecipou à bancada peemedebista alguns dos projetos que serão lançados por sua Pasta nos próximos meses. Um deles é um programa para a difusão da energia fotovoltaica. Até abril, a Caixa Econômica Federal deverá abrir linha de financiamento para que as famílias possam produzir sua própria eletricidade, através da instalação de placas que captam energia do sol.

Até junho, deverão ser divulgadas as regras para que os proprietários de residência possam ceder em comodato os telhados de suas casas para a produção de energia fotovoltaica. O ministro também falou que outras fontes de geração de energia renovável, como a eólica, serão incentivadas por programas que estão em fase de desenvolvimento no Ministério.

Receba as notícias do Blog por email

Seguidores