sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Rogério Marinho pergunta: "Com o PT na educação estadual as greves anuais cessarão?"

image O deputado federal Rogério Marinho, presidente de honra do PSDB no Rio Grande do Norte, abordou a situação do ensino público no Estado, em novo artigo divulgado nesta sexta-feira (06). O parlamentar afirma que o Estado está "entre os últimos de um sistema educacional que é notoriamente ruim", e a nova gestão da Secretaria Estadual de Educação, comandada pelo PT, não se referiu até agora a questões fundamentais do setor, como a reformulação o ensino médio, os planos para a Universidade Estadual e o combate ao analfabetismo. E, no final, Rogério questiona: "será que com o PT na gestão da educação estadual as greves anuais cessarão?" 
Confira o artigo de opinião abaixo, na íntegra.
Mais promessas e os mesmos remédios ineficientes
Deputado Federal Rogério Marinho
O bom senso nos indica que a prioridade número um para o sistema de ensino no RN é a urgente elevação da qualidade educacional. Não é a tal qualidade social; é a qualidade mesmo, melhoria do aprendizado e aumento de proficiência. Ou seja, crianças e jovens aprendendo de verdade os conteúdos adequados, na idade certa, sem evasão, abandono ou repetência.
Hoje, a qualidade medida pelo desempenho escolar é desastrosa. A ineficiência do sistema é alta. Há um enorme desperdício com reprovação e dificuldades aparentemente intransponíveis para o RN cumprir os mais elementares padrões de qualidade de ensino. Não podemos dar as costas para essa triste realidade. Para ficar ainda mais clara a veracidade do que estamos afirmando, basta cotejarmos alguns resultados de nossos estudantes na Prova Brasil de 2013. Em língua portuguesa, por exemplo, fomos o 24º estado brasileiro considerando as redes estaduais de ensino fundamental nos anos iniciais. Começamos mal já nos alicerces do ensino.
A rede estadual regular de ensino médio foi novamente a 24ª em proficiência em língua portuguesa do país. Os estudantes secundaristas auferiram média de desempenho inferior em 63 pontos à média mínima esperada. Pouquíssimos alunos estão aprendendo a língua portuguesa como deveriam.
Nada é mais importante do que superar essa grave deficiência. Estamos muito mal no ranking brasileiro. E o ensino nacional é um dos lanternas entre os 65 países avaliados pelo teste PISA segundo a OCDE, ou seja, estamos entre os últimos de um sistema educacional que é notoriamente ruim.
Em contraponto à evidência do baixo desempenho, são de estarrecer as prioridades do PT para a gestão da educação potiguar, meras promessas e os mesmos remédios ineficientes serão administrados na gestão do ensino. O indicado para a pasta em entrevista a impressa local se compromete com cinco eixos de atuação. O primeiro é a valorização dos profissionais da educação, com mais incentivos e reajuste salarial. Sugerimos que ele antes de fazer promessas, converse com o setor financeiro do governo do Estado e pergunte se aumentos são possíveis, ainda mais em um cenário de crise nacional.
Mas, certamente, o PT irá cumprir todas as suas históricas promessas com o professorado do Estado. A corporação viverá um mar de rosas com extensão da hora dedicada ao planejamento, aumentos salariais por meio da vontade política, efetivação de todos os professores temporários, uma carreira de rápida ascensão e relações horizontais no trabalho. Tudo, temos certeza, deverá ser cumprido. O segundo eixo é o aprofundamento da gestão democrática para a educação. Mais do mesmo, a eleição de diretores já existe e por si só não resolverá a questão da falta de qualidade. É uma politização abusiva das escolas.
O terceiro eixo proposto seria o respeito à diversidade. Falam sempre em diversidade racial, física, étnica, sexual e ideológica. Não se sabe, com perfeição, o que isso tudo quer dizer, mas torcemos que não seja o avanço do ensino ideológico incentivado pelo PT nacionalmente, que inclusive redefine o conceito de família. Nada disso promove qualidade de ensino, esquecem o mérito, a avaliação de docentes e o estabelecimento de metas de melhoria da proficiência com cobrança de resultados.
Algo parecido com qualidade educacional compôs o quarto eixo de prioridades do PT. Mesmo assim falou-se de forma muito subjetiva em aprendizagem voltada ao currículo escolar. Ora, não é um termo objetivo de combate à falta de qualidade educacional. O quinto e último eixo na educação do RN é a articulação com os sistemas municipais, estaduais e nacional de Educação, o que é uma mera ação de rotina, uma obrigação ordinária, comum, da secretaria.
Faltou o que será feito para ofertar um ensino técnico e profissionalizante adequado à realidade e às oportunidades econômicas do RN. Faltou dizer como irá reformular o ensino médio, que hoje não prepara o jovem nem para o trabalho, nem para academia. Faltou dizer como irá equilibrar as finanças da educação no Estado, quais os planos para a Universidade Estadual, como vai combater o analfabetismo funcional nos anos iniciais e como irá formar professores alfabetizadores capazes de enfrentar o desafio de mudar a realidade educacional de nosso Estado. Afinal, as expectativas são enormes com o PT na educação do RN. Eles terão todos os meios para provar que não vivem apenas de retórica e que possuem a receita para resolver os problemas. E isso com a ajuda total do Governo Federal, por eles também ocupado.
Da nossa parte, estamos à disposição para contribuir com verdadeiras mudanças e acompanharemos com entusiasmo as ações e os resultados concretos a serem alcançados nos próximos quatro anos. Desejamos sorte, eficiência e dedicação ao que é mais importante: o ensino de nossas crianças e jovens. Em tempo, será que com o PT na gestão da educação estadual as greves anuais cessarão? É aguardar. Assessoria
Nota: Nada melhor do que o Deputado dedicar todo este texto na prática as administrações de 3 municipios do PSDB no RN.













Receba as notícias do Blog por email

Seguidores