sexta-feira, 5 de junho de 2015

UFRN - excelência acadêmica e administrativa nos próximos quatro anos

imageExcelência acadêmica e administrativa. Essas são as palavras-chave da nova gestão da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) para os próximos quatro anos. O anúncio das diretrizes da gestão 2015-2019 foi feito na manhã dessa segunda-feira, na sala de reunião dos colegiados, no Campus Central, em Natal, durante o primeiro dia de trabalho da reitora e do vice com o staff da reitoria.
“Temos que implementar esse novo reitorado diferenciado de outras gestões”, defenderam, na ocasião, a reitora Ângela Maria Paiva Cruz e vice-reitor, José Daniel Diniz Melo, ao explicaram que isso será possível se o ensino de graduação e de pós for qualificado e os campi do interior fortalecidos.
“Deve-se visitar as unidades acadêmicas e os campi e incluir toda a instituição nessa gestão”, pregaram, no mesmo tom o reitor e vice. Ambos adiantaram detalhes para a UFRN atingir a excelência até 2019:
“A UFRN precisa fazer e crescer mais. Internacionalizar-se e se interiorizar tendo como princípio uma educação empreendedora. Também devemos valorizar mais a extensão, inserindo os alunos nesse processo, e promover a inovação acadêmica e administrativa, visando a sustentabilidade econômica e financeira da instituição”, completaram. (Sirleide Pereira – Ascom-reitoria/UFRN)

Crise e superação
Na reunião de apresentação da nova equipe, a reitora posicionou-se sobre a crise que afeta a economia brasileira. Ângela Paiva considerou-a como “um momento para superação”. “Devemos saber escolher as boas oportunidades e irmos além do Plano de Gestão, como fizemos no exercício anterior com os recursos do PNAES; com a infraestrutura e o suporte para a internacionalização. Criamos cursos dentro de programas estratégicos, como Libras e Medicina Multicampi no interior, e mais um prédio para atendimento à saúde do servidor. Isso é proavitividade”, considerou a reitora.
Quanto aos procedimentos para cumprir as diretrizes anunciadas, a reitora deu novos sinais: “Consolidar a expansão, por meio de um plano de obras e processos mais céleres; ampliar o acesso e a democratização da promoção social; abrir mais as portas para o setor produtivo interagir conosco, pois a inovação é uma nova dimensão que se soma ao ensino, pesquisa e extensão dentro da UFRN.
Para o vice, “essas diretrizes apontam para mais eficiência e gestão de práticas mais sustentáveis, porque a crise econômica afeta a todos, mas facilita a instituição a avançar em seus propósitos e processos. São compromissos que permanecem com ou sem recursos”, argumentou Daniel Diniz, que disse confiar na competência da nova equipe e esperar dela muito compromisso e dedicação para realizarem, juntos, o que a gestão prometeu à comunidade universitária.
Pouco acesso
Entre as universidades federais do Norte e do Nordeste, apenas 10% dos jovens chegam ao ensino superior. Por isso, Ângela Paiva defende que as instituições federais de ensino devem ajudar a execução do Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê para os próximos 10 anos o índice de 33% dos jovens entre idade de 18 a 24 anos no terceiro grau.
Nova forma de trabalhar
Na primeira reunião de trabalho da nova gestão da UFRN, a reitora anunciou também que o staff deve agir nos próximos quatro anos com compromisso ético, mais integração-comunicação-relacionamento e diálogo; capacitação permanente das pessoas das atividades fim e meio e afetividade entre as equipes. “A idéia é fazermos uma gestão mais itinerante e presente nos setores da UFRN, priorizando os campi do interior e as unidades acadêmicas; fazer acontecer a execução das políticas públicas essenciais à população, de modo a formar cidadãos com valores morais; aprender mais para enfrentar os desafios da gestão e cultivar o sentimento de união nas relações diárias entre as equipes que fazem a universidade acontecer”, justificou Ângela Paiva.
Bem recebidas pelos novos e antigos colaboradores da administração universitária, alguns se posicional sobre as orientações para a equipe:
“Devemos trabalhar na busca do sucesso da UFRN” (Paulo Benício – Adjunto da Superintendência de Infraestrutura).
“O desafio é quando a gente assume compromissos e responsabilidades numa situação de dificuldade financeira, como essa. A nossa capacidade de fazer essa universidade singular nos enseja que a gente supere os desafios e siga adiante, fazendo com a UFRN obtenha resultados melhores” (Edmilson Lopes Júnior – Pró-reitor de Assuntos Estudantis).
“Trabalhar em equipe exige união. Isso não elimina que devemos pensar diferente, mas precisamos consensuar o que é bom para a instituição” (Daniel Diniz).

Receba as notícias do Blog por email

Seguidores