quinta-feira, 25 de junho de 2015

UFRN chega aos 57 anos cheia de sonhos e projetos

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFNR) – a maior e mais antiga instituição pública de ensino superior do Rio Grande do Norte – chega aos 57 se preparando a excelência acadêmica e administrativa. Para isso, está formantando  um  novo Plano de Gestão universitária para os próximos quatro anos, que dê suporte às prioridades estabelecidas pelo reitorado Ângela Maria Paiva Cruz e José Daniel Diniz Melo.
Com mais de 100 programas de pós-graduação e mais de 100 pedidos de patentes, registros e marcas, a instituição atinge os 57 anos em plena vitalidade: alem do campus central, em Natal, está presente nos quatro campi do interior (Macaíba, Santa Cruz, Currais Novos e Caicó), onde serão ofertados novos cursos da área da saúde e ampliadas as vagas nos já existentes, como Medicina Multicampi, e construídos novos prédios para abrigar ginásios de esporte, restaurantes, laboratórios, institutos de pesquisa e ambientes para o ensino e pesquisa. Por meio de cursos presenciais e a distância a UFRN chega, atualmente, em mais de 20 municípios do RN e de outros estados, contabilizando cerca de 42 mil alunos no ensino da graduação, da pós-graduação, na formação técnica e na educação infantil.

O aniversário nessa quinta-feira, 25 será comemorado modestamente, a partir das 17h, com um ato ecumênico na Capela do Campus, em Natal, mas a evolução e contribuição social da instituição é inegável.  Ao analisar a trajetória institucional no contexto norte-rio-grandense, a reitora Ângela Maria Paiva Cruz reflete que “houve esforço de todos os reitorados para que a UFRN cumpra e continue cumprindo a sua função social, e se tornasse a referência que é hoje em qualidade no ensino, na pesquisa e na extensão, entre tantas grandes instituições públicas de ensino superior que temos no país”.
Iniciando o 15º reitorado da instituição, Ângela Paiva - primeira mulher reitora da UFRN em 2011 e reeleita para mais um mandato de quatro anos – observa que os investimentos públicos presentes na UFRN só se justificam se a instituição continuar preparando pessoas para atender as demandas sociais e do mundo do trabalho, e se o conhecimento produzido por ela seja disponibilizado para a elaboração de políticas públicas que venham a intervir positivamente na sociedade, de forma a melhorar as condições de vida das pessoas”.
“Temos uma grande responsabilidade”, pondera Ângela Paiva, “pois o sonho de construir esse patrimônio público idealizado por nomes como Câmara Cascudo, Dinarte Mariz e Onofre Lopes, realizado há cinco décadas por 12 reitores, tem de continuar. Há muito a ser feito, ainda, na UFRN, tanto em expansão para dentro do estado como para fora do país; precisamos ofertar formações novas e aperfeiçoar os processos de gestão. Mas, o grande desafio dessa instituição, daqui por diante, será alcançar a excelência acadêmica e administrativa. E é isso que essa nova gestão vai perseguir. Projetos é o que não nos faltam”, conclui a reitora.
O aniversário da UFRN é tema do artigo da reitora Ângela Paiva, intitulado 57 anos de UFRN, publicado no Portal da Andifes, disponível no endereço:
http://www.andifes.org.br/?p=40011; e no Jornal Tribuna do Norte, edição desta quinta-feiraSirleide Pereira – Ascom-reitoria/UFRN.

Receba as notícias do Blog por email

Seguidores