sexta-feira, 8 de maio de 2015

No Dia Nacional do Turismo, ministro Henrique Alves destaca fortalecimento da atividade econômica no Brasil.

imageAlves participou de audiência pública para discutir “Perspectivas do Turismo como Vetor de Desenvolvimento Econômico de Natal”

O ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, afirmou nesta sexta-feira (8), em Natal, que o turismo é uma das formas mais rápidas e eficazes de geração de emprego e renda. Ele destacou que, a recuperação da economia brasileira, principalmente em destinos já consolidados como a capital potiguar, poderá contar com o turismo como atividade econômica de retorno rápido para todas as camadas sociais.

Na audiência pública, promovida pela Câmara Municipal de Natal, Henrique Alves disse que tem a noção exata da importância do ministério. “O turismo tem de fazer parte da agenda econômica e social desse país”, destacou. O ministro apresentou dados estatísticos que apontam o turismo como atividade que superam itens importantes da pauta de exportações brasileiras como carne bovina, café, aeronaves e automóveis.

HUB da LATAM

Em todas as falas os participantes da audiência pública ressaltaram as vantagens do novo Aeroporto Internacional “Aluízio Alves”, em São Gonçalo do Amarante, em relação aos outros concorrentes que disputam o centro de conexões que a companhia aérea anunciou para o nordeste. A previsão é de que as operações comecem em 2016 em Natal, Recife ou Fortaleza.

Alves lembrou que o novo aeroporto de Natal foi projetado com características para se tornar um HUB de conexões nacionais e internacionais. Na próxima quinta-feira (14), o ministro volta a se reunir com a direção da companhia aérea, em são Paulo, para defender a candidatura de Natal. Além de deputados e senadores da bancada federal do Rio Grande do Norte, também foram convidados para o encontro os prefeitos de Natal, Carlos Eduardo Alves, e de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado.

Na condição de ministro do Turismo, Henrique Alves disse que não pode nem deve buscar privilégio para o Rio Grande do Norte em detrimento dos outros estados que estão na disputa, mas como potiguar ele ressaltou que não vai admitir injustiça com o estado. “Se conquistarmos essa vitória, com base em critérios técnicos, será um salto de qualidade para a economia potiguar”.

Receba as notícias do Blog por email

Seguidores